Ansiedade… Ser ou Estar, eis a questão!

Quando uma criança, por altura da apresentação entre pares e professor, se apresenta como “eu sou ansiosa”, ou até mesmo “sou preguiçosa”, ou “sou desatenta”, atenção! O modo como a criança se vê, está relacionado com a forma como os… Ler mais →

A Saúde Mental como um pilar da sociedade

Uma das nossas características mais distintivas enquanto espécie é a nossa capacidade de cooperar, de suprimir a vontade individual em prol do coletivo. Cooperar em nome de um bem maior requer, acima de tudo, comunicação e confiança, duas valências comuns… Ler mais →

Falar através do corpo

“O que a mente cala, o corpo fala” é uma frase sobejamente conhecida, associada às manifestações somáticas, que alerta para o facto de que o corpo não deve ser encarado apenas como uma “soma” de interações complexas entre corpo, mente… Ler mais →

Porque é tão difícil a autorregulação emocional?

Há uma tendência a só reconhecer as emoções nas suas versões mais extremas ou intensas e aí, falar de regulação é difícil (não impossível) pois não é possivel ir da raiva à tranquilidade com passes de mágica.
Compreender que os estados emocionais funcionam em escala, e ter consciência dessa escala pessoal permite-nos estar mais atentos à progressão das emoções, e atuar quando a emoção é moderada e passível de uma intervenção mais eficaz, como por exemplo, mudar o foco da nossa atenção, alterar um comportamento, retirarmo-nos de uma situação, etc.

A epigenética e as heranças emocionais

Genética é o estudo da hereditariedade ou seja, como as características dos seres vivos são transmitidas de uma geração para a seguinte. O prefixo epi é derivado de uma palavra grega que significa acima/além. Em epigenética falamos de algo que acontece acima, ou sobre a forma como os genes se expressam.

A unidade corpo-mente

O corpo é uma unidade funcional, onde emoções, pensamentos, sentimentos e comportamentos acontecem… e onde há desequilíbrio há pouco corpo.

Aprender a comunicar de forma não violenta

A comunicação não violenta facilita e melhora o relacionamento com o outro, ajudando-nos a reformular a maneira como nos expressamos e como ouvimos os outros.
Estamos formatados para usar reações repetitivas e automáticas, e o que queremos é mudar para um modo de respostas conscientes, a partir do que estamos a perceber, sentir e desejar.

O que escondem os gatilhos emocionais

Gatilho emocional é um termo que habitualmente usamos para referir situações, assuntos, pessoas e acontecimentos que fazem, literalmente, disparar o pico de emoção saltar rapidamente para uma zona de perigo. A descarga emocional é tão grande que, em instantes, toda a fisiologia fica alterada.

Compreender a ansiedade

A ansiedade é um estado mas não nos define, não é um traço de personalidade, é um sintoma, uma resposta a algo. Quando dizemos “eu sou ansioso” é como se não houvesse nada a fazer perante isso.

As 6 etapas da regulação emocional

Ser capaz de se regular emocionalmente é um objetivo importante, mas esse fim não pode substituir o caminho porque é no caminho que se faz a aprendizagem.
Com a regulação emocional, a melhor forma de atingir o resultado é conseguir integrar na vida as várias etapas do processo e apreciar cada uma delas. E que etapas são essas?