• Num processo de autoconhecimento e descoberta com fins terapêuticos, as emoções desempenham um papel chave para trazer ao de cima as questões que precisam de ser trabalhadas.
  • Muitas vezes as pessoas não reconhecem os sentimentos invisíveis numa sessão de terapia. Desde muito cedo fomos aprendendo, todos nós, a ignorar determinados sentimentos para mantermos a conexão com quem cuida de nós.
  • Trazer à consciência, é trazer à mente mas é também trazer ao corpo... é poder experienciar na relação, numa nova relação, o acolhimento de todas as emoções, sem julgamento, sem humilhação ou culpa.
  • O espaço e a relação terapêutica são o local seguro para trazer ao de cima todas as emoções que fomos ignorando e bloqueando ao longo da vida. Os sentimentos percecionados como perigosos despoletam memórias inconscientes das nossas relações mais antigas, tomando a forma de ansiedade.
  • Uma pessoa que estabeleceu uma vinculação segura na infância vai aceitar os seus sentimentos e regular a sua ansiedade prestando-lhe atenção e conseguindo autorregular-se.
  • Contrariamente, uma pessoa cuja vinculação foi insegura reage como se os outros rejeitassem os seus sentimentos e a sua ansiedade.