Com toda a certeza já percebeu que, quer a sua mente quer o seu corpo podem ser afectados pelas suas experiências e vivências.

As psicoterapias corporais são uma abordagem que encara a pessoa como um todo, que olha para o corpo como algo que não está separado da mente, pelo contrário, é exatamente esta conexão corpo-mente que permite à pessoa a noção do seu “Eu”.

Portanto, na prática, a psicoterapia corporal é um ramo da psicologia somática, que integra os pensamentos e as emoções do indivíduo, mas também as suas experiências sensoriais, o que permite, ao longo do processo terapêutico, aumentar a consciência corporal e daquilo que ele encerra, nos esconde ou, pelo contrário, aquilo que muitas vezes nos quer dizer e nós não lhe prestamos a devida atenção.

O nosso corpo tem a capacidade de armazenar uma imensidão de “histórias por contar” e através da terapia podemos compreender o significado de muitas experiências passadas e como elas nos condicionam até hoje, onde o corpo se torna uma ferramenta essencial para a resolução de muitos traumas, medos, angústias, stress.

As psicoterapias corporais desempenham um papel cada vez mais importantes no mundo das psicoterapias, uma vez que que têm permitido, por exemplo, um avanço na compreensão da dinâmica mente-corpo, já que se parte do princípio de que o corpo e a mente trabalham como uma unidade funcional.

As psicoterapias corporais são bastante versáteis, uma vez que podem ser utilizadas individualmente ou em grupo e incluem a respiração, técnicas de movimento, dirigidas a uma variedade de problemáticas, o toque – que pode ir do simples apoio/suporte de uma mão num ombro à massagem biodinâmica -, intervenções com dança, movimento e Somatic Experiencing®.

Apesar de ter na sua raíz fundadora a psicanálise, acaba por ter influências da psicologia da gestalt, dança-terapia, arte-terapia, sistémica, biologia, neurologia, entre outras e, consequentemente, uma abordagem do tratamento mais experiencial do que as formas mais clássicas de terapia.

Os psicoterapeutas corporais acreditam que as memórias são armazenadas no corpo e, por isso, algumas não conseguem ser processadas nas terapias mais clássicas, assentes na linguagem falada, mas que determinadas memórias traumáticas e tensões podem, muitas vezes, ser libertadas através de um trabalho com o corpo e outras técnicas físicas.

Como é que a psicoterapia corporal pode ajudar?

Esta é uma abordagem holística e os psicoterapeutas corporais partem do pressuposto que muitas questões que impactam o bem-estar emocional, resultam de uma repressão contínua de memórias traumáticas ou prejudiciais e que estão presas no corpo. Esses efeitos podem então ser experienciados através de sintomas físicos: dores de cabeça, insónia, fadiga, dor crónica, i.e. através daquilo que é conhecido como somatização. Também podem afectar o funcionamento diário do indivíduo, como as relações afetivas, a intimidade ou o humor.

Estudos recentes revelaram que as psicoterapias corporais podem ser uma excelente abordagem metodológica para pessoas que experienciaram traumas, abusos ou sofram de ansiedade. Na prática, deixamos que o nosso corpo se exprima, aumentamos a nossa consciência para o apender a ouvir e a sentir e permitimo-nos que ele nos conduza à cura, que ele nos diga o que precisa fazer para se libertar – o nosso corpo sabe do que precisa!

Regina Ponces